segunda-feira, novembro 17, 2008

POR JOANA MORAIS VARELA


Associei-me de imediato, enquanto blogger independente e enquanto cidadão
intermitentemente professor de Língua Portuguesa,
amante das liberdades fundamentais e do fundamental bom senso,
a esta forma bem digna de relevar uma pessoa
pelo seu trabalho e pelo seu longo percurso ao serviço da Colóquio/Letras,
sobretudo num momento crítico em que obscuramente
se levanta contra si, Joana Morais Varela, um processo em quase tudo similar
ao célebre processo levantado contra o professor Charrua devido ao seu
ainda mais célebre «filho da puta» proferido, e com consequências
gravosas talvez semelhantes ou superiores àquelas
com que o referido professor foi sancionado.
lkj
Entre um e outro casos, a diferença está a ser
somente a) a da não repercussão mediática do caso;
b) a da poupança igualmente mediática e blogueana de Eduardo Marçal Grilo,
poupança de que de todo Margarida Moreira não beneficiou, pelo contrário,
[nem tinha por onde beneficiar, das ist meine meinung].
lkj
Naturalmente que, como muito bem se faz aqui, também eu recomendo
aos meus amigos e leitores uma tomada de posição semelhante à minha
e não custa nada por todas as razões que me dispenso de expor,
bastando para tanto clicar aqui, e escrever o que lhe apetecer,
ou simplesmente a palavra assino.

Sem comentários: