terça-feira, novembro 04, 2008

DANTE ENTRE OS DENTES DA POESIA


Defloro a letra do meu verso e versejo anelar Ovídio e Horácio,
Ars Poetica por mim adentro destra ou dextra, Metamorfoses por mim afora ânfora vínica.
Dante, meu velho hedónico, tu, que te entalaste de poesia e de vício até ao limite do arroto,
e depois arvoraste o reconvertido remordido e devoto, visão da Beatrix beatífica,
não poderás ao menos tu, que estás morto, velar por este alado poeta
que forceja romper peias e rasgar o de todos se quedar mísero,
esgar de todos, de todos esganado e ignoto?!

4 comentários:

A disse...

Awesome picture. Where did you shoot it? What camera do you use?

-A

SingletrackM1nd disse...

Would that I weren't so monolingual. Thanks for stopping by the BZN Trail Report!!!

Barbarella disse...

hey josh dear,

First of all, thx for stoping by at my blog, and thx again for the good stuff you wrote about it! I love art, and Ill stop by everytime to read your poems, aforisms and quoatations, k?

bu bye

Barbara Gondar
www.sifuxipa.blogspot.com

Barbarella disse...

ou, em português, se você preferir!

hahahaha

beijos