terça-feira, novembro 11, 2008

FAFE E OS OVOS, A JUSTIÇA


Não sabemos se Maria de Lurdes Rodrigues escapou ou não
aos ovos de Fafe e não podemos afiançar que José Ribeiro,
que apanhou com eles, seja omnisciente,
mas o que este incidente (natural? lamentável?) representa
é mais uma etapa espontânea na contestação genérica e difusa que grassa.
lkj
Eu pergunto-me como é possível que os comentadores mais grunhos,
e que de todo se apiedam da ministra e dos seus métodos manobristas
e autocráticos, não se dêem ao trabalho para verificar em que outro país do mundo
algum outro ministério da Educação se tem destacado
por hostilizar de uma forma prolongada e deliberada um grupo profissional!
Em que país normal e democrático do mundo perde o poder eleito tempo
para estigmatizar, denegrir, oprimir e perseguir um grupo profissional?!
lkj
Acredito que a Educação e o Ensino servem para modelar um homem tecnicamente hábil
com as mãos e com os dedos, bem apetrechado cognitivamente, culto nos factos
e no seu relacionamento criativo, socialmente consciente, crítico e participativo,
mas revestido dos valores, das capacidades humanas para agir com amplo sentido ético.
lkj
O actual Ministério da Educação, pelo contrário, pensa em submeter à escravidão dos índices
a classe docente, em chantagear e esmagar para e pelos índices a classe docente,
sopeando-a de burocracia e de pró-forma, quer dentro, quer fora da sala de aula.
Quanto ao ser humano daí resultante? Um diplomado instantâneo oco e unidimensional
para quem os professores não fizeram nem deixaram de fazer qualquer diferença.

8 comentários:

Pata Negra disse...

Mais grave do que atirar ovos, é estender tapetes! Mais grave do que proferir apupos, é espumar da boca!
Um abraço com pedras na mão

Anónimo disse...

Esqueceu-se de culpar os comunistas? De certeza que não foram eles que organizaram esta "recepção"? Está a falhar...

Compadre Alentejano disse...

A minha pena é de não ter lá estado. Talvez lhe atirasse com um camião de ovos...se os tivesse...pois ela bem os merece...
Compadre Alentejano

Tiago R Cardoso disse...

este governo teve o condão de unir diferentes sectores todos contra esta ministra, parabéns.

Peter disse...

"Em que país normal e democrático do mundo perde o poder eleito tempo
para estigmatizar, denegrir, oprimir e perseguir um grupo profissional?!"

Sim, em que país?

P.C. - Conforme o combinado, iniciei, depois da defesa dos profs, o "Ataque contra o TGV".

Abraços.

joshua disse...

A Ministra, com o seu passado anarquista, só pode estar a adorar o show que montou com requintes de malvadez.

Quanto a Alegre e a esses putos e moças de Fafe, algumas delas a sentir virginalmente [talvez pela primeira e pela última vez nas vidas] o cacete retaliatório das polícias, têm mais tomates que dois Cavacos Escondidos [parafraseando a adorável expressão dos Meninos Gigantes de Fátima] e outros agentes políticos e comentadores com obediência, medo e escondimento a mais para serem gente.

A coisa degrada-se porque o Poder político não tem vergonha de ser só poder, ignorando que são titulares provisórios e estão ao nosso serviço e que nos devem contas a nós, por muito que o esqueçam enquanto nos fodem e refodem de fisco abusivo e sem vergonha, de obras megalómanas, e planeiam privatizações anacrónicas ao serviço dos cortes à toa e do desemprego por grosso.

Anónimo disse...

O Joshua vá para a Madeira, pelos vistos por lá qualquer badameco leva um bom.
Aí está a maneira de relançar a sua carreira

Porfirio Silva disse...

Pois: privatizar a escola pública: o fruto está quase maduro .