quarta-feira, setembro 17, 2008

CASAMENTO MONOZIGÓTICO


As clarificações são para ser feitas. A JSD fez as suas.
É de esperar que as consequências se façam sentir
e que as experiências legislativas entretanto operadas
dêem origem a ampla reflexão sobre o modelo de sociedade
que se pretende construir no futuro. Pelo andar dos eventos,
é muito natural que a figura do próprio Estado, um dia, para se salvar,
nacionalize o Casamento, ele, que nos Estados Unidos que vai nacionalizando
quantas instituições de crédito e de seguros parecem prestes
a desabar no abismo, arrastando-nos na queda.

1 comentário:

Anónimo disse...

Josh, e nós, que fazemos?
Apoiamos, não ou ficamos por um prudente silêncio?
Se dizemos SIM, ainda alguém nos chama devassos e apoda de debochados;
se enveredamos pelo NÂO, logo irão proclamar que somos uns salazarentos bafientos e sarnentos;
se nada dizemos, que pouco mais que eunecos seremos ...

Estou pelo NÂO e acho que por ali me quedarei .... isto cada um é como é, mas de tanta protecção às minorias, qualquer dia nós é que estamos completamente desprotegidos.

Lá essa da nacionalização do casório é que tem pernas para andar.
Em se sendo ministro, será que se poderia retomar o vetusto direito de pernada?

Quanto à tua escrítica mordaz sobre os DICKS, aquilo de facto quase poderia ser Denmark, Ireland, Canada, AmeriKKKa e Scotland ... o K é que está ali a estragar tudo ...