quarta-feira, setembro 17, 2008

PENSAR EM GRANDE GRANDES IMPLOSÕES


Para muitos portugueses, o pensar em grande que falta e o grande sonho seria
o pensar em grande neles porque não há dúvida de que os grandes protegidos
da governação são os megagrupos económicos, como a Repsol.
kjh
Agora, com o arranque da ampliação do complexo petroquímico de Sines
da Repsol caberá perguntarmo-nos se o tal sonho de grandeza
terá de ser necessariamente alavancado pelas nossas costas.
lkj
Esta questão suscita um debate, igualzinho,
só diferente na proporção, ao que está presente precisamente na campanha
presidencial norte-americana porque uma das falácias da Administração Bush,
além da doutrina da guerra/ataque preventiva,
passou pelo privilégio dos grandes lóbis do dinheiro, da indústria,
dando muito mais a quem já muito tinha, e emagrecendo a sociedade,
privando os sectores do trabalho do justo e verdadeiro benefício
do seu esforço e suor, numa atitude laxa e optimista
de que a prosperidade adviria como por uma lógica de gravidade.
lkj
E não é assim. Os resultados estão à vista e são macro-impactantes,
fazendo abalos telúricos diários à confiança dos mercados
e levando a negócios salvíficos da China,
pechinchas, compras impensáveis há poucos meses: «Meanwhile,
Lehman executives continue to negotiate
a potential sale of its prized investment management division,
which includes money manager Neuberger Berman.
The division was once valued by as much as $10 billion by Wall Street analysts,
but now could fetch much less considering Lehman's bankruptcy proceedings.».
Se se estimula a ganância e a exclusividade dos mega-empórios
a tendência não é propriamente que estes raciocinem em favor da coesão social
e da responsabilidade social,
mas do recrudescer de uma competetitividade inter-sectorial
para o que normalmente não se olha a meios nem a espedientes
e explica o desastre em decurso.
lkj7
Só o Estado poderá repor justiça nesse plano: se se demitir de o fazer
não serão os agentes financeiros e produtivos ou os investidores que tomarão a iniciativa
de cimentar o investimento reprodutivo ou uma justa perspectivação social do trabalho.

1 comentário:

antonio ganhão disse...

Acho que vou emigrar para os Estados Unidos... a crise deles tem mais sentido de humor.