sábado, setembro 27, 2008

VENTRE, CAIXA DE PANDORA


Ao princípio, parece simples e experimental: é só um bocadinho.
Com o passar do tempo torna-se usual e vulgar.
A ética e a prudência atrapalham a consciência? Eliminem-se do caminho.
Os interditos são aborrecidos e antipáticos? Façamos-lhes uma plástica.
ljj
Se o aborto praticado pelos médicos e a eutanásia
deixaram de ser considerados falhas graves
no novo Código Deontológico da Ordem dos Médicos ontem aprovado,
por que é que não me sinto aliviado e feliz?!
O documento anterior referia que "constituem falta deontológica grave"
ambas as práticas, pois. A falsa fluidez e a falsa modernidade
vão tornando laxa e lassa a Letra da Lei, a Letra da Norma, o Corpo do Código,
porque o Corpo do Código, a Letra da Norma e a Letra da Lei atrapalham.
lkj
Foi assim, eliminando a barra rígida dos princípios,
desculpabilizando, naturalizando, darwinizando a luta e o conflito evolutivos
entre fortes e fracos e metendo no torno da rotina até ficar espalmado e flexível
o que na verdade é aviltante às consciências,
foi assim, repito, que se viram, há mais de cinquenta anos
e há menos de vinte, crimes e loucuras inomináveis.
lkj
O Ventre Humano, uma vez aberto
desde o seu âmago a uma interferência de morte,
é ele a Verdadeira Caixa de Pandora: aparentemente liberta.
No cerne, é mortífero, desassossegador, pai do caos within.
Desorganizador insidioso.
lkj
Arranjem a Letra como quiserem.
O Espírito não pode negar-se.

1 comentário:

antonio ganhão disse...

Temos que pôr fim a resquiços arcaicos de moralidade. Se vem na Caras, está na moda... e poruqe se deve negar ao povo, o que está facilmente acessível ao nosso jet-set?