quinta-feira, janeiro 14, 2010

ABRE ANTES, O APARÍCIO

Circula uma tese maldosa, cómica e plausível, de que esse Miguel Abrantes corporativo, personagem omnisciente, impiedoso e enigmático, sem BI nem foto, é, nada mais nada menos, que o Eduardo Pitta, até porque consta ser este o único que testemunhou a Aparição e insiste no Mistério perfeitamente natural daquela existência. É, portanto, um raro Apóstolo Abrantino. Certo é que isso de que o Abrantes exista é matéria de fé e há uma fúria inquisitorial sobre quem ouse questionar o dogma, como o fez Carlos Santos. A polémica ainda vai no adro, espécie de aperitivo para o dissipar de uma nuvem contra-informativa inaudita em Portugal.

1 comentário:

Daniel Santos disse...

para mim é uma personagem de ficção.