quarta-feira, janeiro 20, 2010

VÍTOR, O EXILADO DO SOCRATISMO

Quando se pensa no infortunado Vítor Gonçalves, correspondente da RTP nos EUA e desde há dias em serviço no Haiti, deve pensar-se na inteligência, na irreverência e na qualidade jornalística que ainda subsistem na RTP, apesar da ultrassocratinizada e servil Fátima Campos Ferreira e quejandas figuras pardacentas do Regime na babugem da estação. Não é porque também ele foi vítima de uma forte réplica no Haiti que se desata agora por aqui em encómios e em aproveitamentos anti-propagandescos ao socratismo. Não. Mas o Vítor pertence a uma casta de jornalistas de tal maneira independentes e lúcidos que o Regime, marcado e tarimbado pela Aldrabice, Avé, ó cheia de Lata!, logo trata de exilar, para evitar problemas com os factos, evitando aquelas reportagens impossíveis de filtrar com censura sorna e que em nada convêm à sordidez política vigente, dada a verdade oculta desagradável que exalam, apesar da bovinidade-caprinidade geral. Não é o único. Há outros correspondentes da RTP no exterior que recordam Marcelos e têm o respectivo tratamento adequado. São postos fora de combate sem apelo nem agravo. O assédio à liberdade em Portugal completou o seu círculo de fogo sob a égide de um socratismo que estrebucha ainda mais feroz, compensando a relatividade maioritária com castração selectiva da opinião e a esterilização alargada dos últimos redutos de independência de espírito e irreverência moral. Graças a Deus que o Vítor está bem. De regresso!

1 comentário:

joãoeduardoseverino disse...

Muito bom, Joshua. Ler-te é um dever.
Abraço