segunda-feira, janeiro 25, 2010

ESSA REPÚBLICA-ABORTO

A República dos múltiplos assassínios e brutalidades quer comemorar-se, comemorando a sua vergonheira jacobina e respectivos golpes, banhos de sangue, abusos. Nada como rumar ao cemitério onde jazem os regicidas, com o cinismo de se tratar do dia prévio, 31 de Janeiro, à consumação dos consabidos actos vergonhosos de Fevereiro, 1908. Um dia, pacificamente, com o voto singelo de um Povo lúcido, esses donos e herdeiros da usurpação e dos frutos do assassinato do então Chefe de Estado, saberão como se instaura um Regime na Justiça e na Liberdade. Sem sangue! Sem terrorismo! A verdade é que cumpre limpar Portugal dos que se cevam de este Regime e mantêm uma maioria do Povo na dependência magra do Estado, ainda por cima grata, essa turba, pelas escassas migalhas facultadas! Quantas desgraças vieram após assassinatos de essa natureza aqui e por essa Europa fora! Um povo que rigorosamente se levanta e se livra de um tirano, seja ele quem for, é uma coisa. Outra, diversa, é o nada, o vazio, abertos pelo mais abjecto e covarde dos actos de sangue. Este Regime faliu moralmente e prepara-se para falir em grande, no plano económico, graças à estúpida obstinação de quem o mina.

5 comentários:

jose ramos disse...

Não há comentários a fazer depois do que foi escrito, resta-me o direito à indignação...

Daniel Santos disse...

e muito bem!

Unknown disse...

Hola muy lindo el blog.
Pasate por mi web
http://www.planeta-grandt.com.ar/.
Abrazo!

Quint disse...

Discordo.
A Monarquia também se impôs por golpes de espada e derramamento de sangue.
Paralelamente, e pese o respeito que me merecem as tuas convicções, é igualmente mentira que até 4 de Outubro de 1910 Portugal fosse uma sociedade, uma Nação e um País pujantes.
A verdade é que até D. Carlos se referia a Portugal como a piolheira!
A História não se nega, nem renega. Comemorar ou recordar a República é o mesmo que comemorar os 500 anos dos Descobrimentos; que não se faça nem mais, nem menos do que aquilo que foi.

Nuno Castelo-Branco disse...

Ferreira-Pinto, se quiser saber a verdade acerca da "estorieta da piolheira", pode vir aqui:

http://centenario-republica.blogspot.com/2010/01/breve-historia-da-piolheira.html

Pelos vistos, a propaganda velhota de 120 anos, continua de vento em popa. Por favor, não compare o rei D. Carlos com a enorme série de bardam... que temos tido. É imoral.

Mas se diz que a "gesta" da república equivale aos Descobrimentos, então nada mais tenho a sugerir.