sábado, janeiro 23, 2010

CAMPO PEQUENO DE SÁ PINTO

Aquele feitio impetuoso e truculento de Sá Pinto, que todos julgávamos moderado pela maturidade, vinho que envelhece e melhora, rompeu à touro num conflito com Liedson. Já muitos escrevinharam sobre os factos e as suposições de essa pega de balneário. Sá queria reverência e respeitinho para com o sócio/adepto. Liedson de estes só quer respeito e adoração. Não a censura. Isto só tomou as proporções calamitosas que tomou porque foi com ou contra Liedson, espécie de talismã naturalmente intocável na casa, chamem-lhe o que quiserem, mercenário e outros insultos injustos ou palavras impróprias para tanta produtividade e salvação. Afinal, quem desestabiliza o Sporting? Quem veio anunciar o evangelho do respeitinho através do pugilato? Assunto resolvido. Sá já não marca golos e o campo é demasiado pequeno para a lida. Só não sabemos se, amolgado pelo arranque rijo de Sá Pinto, numa pega de caras como há poucas, o futebol português continuará a ter o mesmo Liedson implacável que merece. Adenda: Há por aí uns cromos que ainda não compreenderam que, sem Liedson (ou Pepe), simplesmente não estaríamos no Africa do Sul 2010.

8 comentários:

Anónimo disse...

Sá Pinto é a próxima aquisição do FC Porto, pois, com o Pidá preso, o Madureira com a pena suspensa e o Guarda Abel já na terceira idade, precisam de alguém para manter os jornalistas na ordem... como por exemplo quando os obrigam a sair por uma porta do Estádio do Dragão para "os braços" dos maricas dos SD...

Marco Nicolau disse...

Este comentário é relativo ao tópico “ÂNSIA DE CHEGAR”


Concordo a 500% com o que o Miguel diz. Bravo!!!

Dizem que o SLB está a ser levado ao "colo"… hum… quando o dizem, devem estar a referir-se ao penalty não assinalado na Madeira sobre o Aimar, com o árbitro a 1 metro (o resultado já ia volumoso, eu sei, mas é um erro grosseiro), ou então, devem estar a referir-se às 2 últimas expulsões de jogadores de equipas adversárias do FCP (o nariz e o peito, para quem não esteja equipado de azul e branco, é mão), ou então, ao golo do Falcão com a mão (sim é um lance dificílimo para o árbitro mas já que estamos a falar em "colo" é importante frisá-lo). Dizem que é patético ter expulsado o jogador do Marítimo por palavras… e o Di Maria, por protestar (muito diferente de insultar), não levou amarelo?! Contestam o lance do golo anulado ao FCP (mal anulado de facto) mas alguém do FCP falou na 1ª volta quando perto do final do jogo o árbitro invalidou um golo ao Paços (o jogador estava no mínimo 2 metros atrás do último defensor do FCP), golo que daria a vitória da equipa da capital do móvel. No ano passado, ninguém do FCP se queixou do penalty fantasma que resultou no empate com o SLB, pois não? E nos anos anteriores, também ninguém se queixava da carrada de jogadores do Benfica que saiam do Dragão com um cartão vermelho no lombo pois não?? Enfim, podia estar aqui a noite toda mas acho que já perceberam onde quero chegar.

Eu, tal como o Miguel, gosto que o SLB ganhe por mérito próprio, e não gosto de ganhar com favorecimentos (ao contrário de vocês que o que querem é ganhar, seja com “fruta”, “chocolates” ou “rebuçados”). Eu admito quando somos ajudados, não tenho palas nos olhos, mas também sei ver quando somos prejudicados ou quando não ganhamos porque simplesmente não jogamos nada. Agora vós, se não ganhais é o “colinho” do SLB. Eu tenho uma opinião pessoal acerca dos portistas (que se deve alastrar à maioria do universo benfiquista), ou seja, eu acho que os portistas, em primeiro lugal, são anti-benfiquistas (um grande exemplo são os cânticos patéticos sorbre o SLB), depois são fanáticos pelo pinto da costa (não merece maiúsculas no nome) e só muito depois é que são portistas… enfim.

Para terminar, digo que este ano o SLB até tem sido bastante prejudicado (lembro-me do jogo contra o nacional por exemplo em que nos anularam golos por “offside” inexistentes mas validaram um golo claramente em “offside” do Nacional, golo que na altura ditava o empate) mas ao invés dos anos transactos, o SLB está a jogar muito, tornando esse facto desprezável e banalizando qualquer adversário que lhe passa pela frente… sendo um autêntico rolo compressor.

CARREGA BENFICA!!!

joshua disse...

Marco, no fundo coincidimos no que queremos para os nossos clubes: vitórias por supremacia futebolística e sem qualquer espécie de favorecimento no terreno de jogo e nos demais terrenos de jogo. Mas é necessário que não se suponha serem os simpatizantes de Pinto da Costa subscritores dos processos que lhe atribuem e dos quais foi, recorde-se, ilibado. Desejo a melhor fortuna ao Benfica no plano internacional. Não posso senão querer que o meu FC Porto conquiste todos os troféus em disputa ano após ano.

O futebol português precisa da boa saúde desportiva dos grandes clubes e não da sua decadência ou esmagamento. Nunca me alegrei pelo facto de o Benfica se ter arrastado por uma mediocridade directiva e desportiva ao longo dos anos noventa e nesta primeira década que só finda, findando o ano em curso.

IMPERA INVICTO, PORTO!

Daniel Santos disse...

Para mimo Liedson esteve bem.

Nuno Castelo-Branco disse...

E bem vamos precisar do Liedson na África do Sul. É que ele não posa em fato de banho, não é?

joshua disse...

Sim, Daniel, esteve.

Nuno, realmente, é bem verdade que Liedson está para os golos como Ronaldo para a lingerie de homem com prótese.

ZEA disse...

OBRIGADO A TODOS VOS AMIGOS, PRIMOS, IRMAOS, QUE VESTIDES A CAMISOLA DE PORTUGAL COM UM ORGULHO E UMA GARRA QUE ALGUMS ESQUECERAM. RESPEITO A TODOS VOS.

O B R I G A D O

Portadaloja disse...

As conversas de Pinto da Costa, presidente do FCPOrto, escutadas e gravadas no âmbito do processo Apito Dourado, foram disponibilizadas publicamente na internet.

O que se pode ouvir, para qualquer pessoa medianamente entendida em futebol ou nos assuntos do dia a dia, é suficientemente explícito para provocar uma vergonha e uma náusea a propósito da limpeza ética e moral do futebol e do modo como se movimentam os responsáveis nos bastidores, particularmente, no caso, os do F. C. Porto.

Estas escutas provam inequivocamente a existência de uma corrupção autêntica no fenómeno desportivo que mesmo não relevando criminalmente, como não relevaram, por motivos formais e de circunstância juridico-penal, serão suficientes para qualquer pessoa avaliar o contorno em que se move o futebol português, desde há muitos anos a esta parte.

Os factos ouvidos são de há meia dúzia de anos, mas talvez não seja arriscado dizer que nada mudou de substancial. E se mudou, terá sido apenas de latitude ou lugar de poiso.

Escusado será dizer que este assunto, será abordado pelos comentadores, de um ponto de vista utilitário e semelhante ao que se verifica no comentário político: sendo do clube, tudo se perdoa e nem mal se verá. Sendo do adversário, tudo se apontará e todo o mal daí virá.