domingo, janeiro 24, 2010

A PITONISA ALMEIDA

Os jornalistas ainda não aprenderam a poupar-nos de aturar essas velhas (no mau sentido) personagens facciosas no que quer tenham a dizer ao País: viciaram tudo à sua passagem com matéria viciada equivalente ao escutado em mil milhões de escutas a Pinto da Costa. Quem trafica influências e dá bónus e prémios regimentais a amigos, a quem queira servir a família político-interesseira, não tem voto na matéria. Está isento de linguajar profecias importantes e fazer de pitoniza. Ainda é tempo de pedir desculpa porque esta gente pesou enormemente a Portugal. Desmandos e desmazelos tiveram a sua chancela tácita ou explícita. E ainda têm a palavra de druida-senador porque lha dão, que a não merecem. Cansaço de Almeida Santos. Cansaço de Mário Soares. Cansaço de Sócrates. Os mesmos rostos, o mesmo afundanço nacional no oblívio e na mais imoral desorganização. A questão portuguesa já não é saber se um chumbo ao OE fará cair este Governo, mas por que motivo ele chegou sequer a ser Governo em primeiro lugar, com tanto lixo acumulado. De resto, em face do descalabro das contas públicas e do desempenho macroeconómico, estou certo que o desejo predominante neste Governo é cair. Sócrates deseja cair e ter a quem atribuir culpas próprias, depois da estupidez unilateralista com que devastou o território ao toque de caixa da sua preclara cabeça pseudo-hollywoodesca. Guterres, por muito menos, também fugiu. Levou consigo o "diálogo" e as contas de cabeça (erradas) do nosso PIB. Se Sócrates fugir e se atirar ao chão, sem falta, como no futebol, terá o PIB como dor de cabeça e o estigma insanável de ter abusado da sorte e do lado oco e manipulador da imagem.

Sem comentários: