sábado, janeiro 16, 2010

ESTÚRDIA DE ESTADO

O cidadão comum, esse mesmo que não se alarma com quase nada, a não ser que a desgraça lhe bata à porta e se flagre espartilhado no bolso, percebe que o Roubo Sistémico às Contas Públicas operado pelos tachos multitudinários da partidocracia é o busílis: intocado desde a instauração da chamada "democracia". Sente, mais do que sabe, estar o Estado Português a meter água graças a uma casta de hediondos actores políticos. As agências de rating, instâncias internacionais com poder para encarecer ou não o preço do dinheiro emprestado, definitivamente não lêem o Câmara Corporativa nem assistem aos discursos persuasivamente nazis do sr. Sócrates (nazis apenas porque assentes naqueles mesmos princípios de lobotomia geral, subtil, dada pela propaganda mais pantomineira alguma vez levada a cena política em Portugal). O mundo, uma vez mais, no seu langor febril e distracções trágicas, alheia-se imperdoavelmente daquele optimismo colérico e gazeteiro.

1 comentário:

jose ramos disse...

Olá viva!...
Pena é que tão poucos sejam capazes de ver a triste realidade que é ou em que está este País que tanto teria para dar a todos se não fossem uns poucos que sempre os mesmos a meter as mãos onde mais ninguém consegue chegar... Embora pertença a todos nós, porque é que não fui para jogador de futebol ou para PAQUETE de algum Dr. talvez agora conseguisse ajudar a distribuir a riqueza que a todos nós pertence, mas, sempre ouvi dizer que ser honesto não leva a lado nenhum... Fico-me por aqui.