terça-feira, janeiro 05, 2010

NOVA VIOLÊNCIA INSTITUCIONAL


O PS-Governo/Pesada Assessoria, isolado de motu próprio, encena agora cínico amor e flores por causa do Orçamento. Na relação tempestuosa que sempre estabeleceu com os diversos parceiros institucionais e demais forças vivas nacionais ao longo de quatro anos e meio, levou o unilateralismo por pantanosos mares nunca d'antes navegados. Agora envia cartas. Que partido amoroso! Estas negaças lembram o macho latino em sistemática violência doméstica. Ele espanca-a. Passadas horas, flana-lhe um bolo, os bombons favoritos, um ramo de rosas por sobre as lágrimas secas, os hematomas e cortes. Pede-lhe que o perdoe. Ela odeia-o. Ama-o. Fita-o com estranheza e torpor. Finge perdoar. Perdoa. Compra uns dias de paz com sexo mais aceso, mais intenso, perfeição de fingir? Faz de insuflável? É igual. O mal continuará intacto.

4 comentários:

Daniel Santos disse...

Não estragues este momento de amor.

Filipe - Lisboa disse...

Porque não terem substituído as cartas por postais electrónicos via Magalhães?

Quint disse...

Mas olha que pelos vistos ela gosta ... ou então para que andam em conversas secretas? Ou será que sabendo uma que há outra, querem agora ver qual delas é mais galdéria ...

Pata Negra disse...

Já nem sabemos se é o casamento que leva ao orçamento ou se é o orçamento que leva ao casamento! Mas afinal o que é que é mais importante? O casamento? Ou o orçamento? Os três partidos do poder juntaram os trapinhos - ménege à trois? Poligamia? Serão de sexos diferentes?!
Um abraço solteirão