domingo, janeiro 17, 2010

DA VIRGINDADE BLASFEMA

Carlos, mesmo o “Blasfémias” tem tiques de presidencialite vácua e inerte, repleta de urdiduras geniais na verve e blá-blá igualmente tão inaudito como inconsequente porque incha de Bloga como um sapo incha no cio. O vício é geral. Há “blasfemos” que, na grande tarefa de dizer as coisas mais desassombradas e urgentes a um País Globalmente Distraído, se comportam como esse Cavaco remetido ao mutismo inábil e outros que se comportam como o Fernando Lima que fala de mais e falha largo: estão, aliás, todos muito bem uns para os outros: vaidosos, ufanos, como se nunca fossem morrer.

Sem comentários: