sábado, dezembro 20, 2008

AMADO, O ZANDINGA POSEUR


O lamentável Amado poseur garantiu e está garantido:
haverá TGV e ligação a Espanha no próximo ano.
Naturalmente que os argumentos para avançar são muito prementes
porque os grandes tubarões da construção e as suas rémoras
subcontratadas e subempreitadas terão mais um balão de oxigénio,
o problema é a herança a pagar pelos contribuintes portugueses
e a falta de pudor em exigir todos os sacrifícios aos cidadãos
com gravíssimo declínio da qualidade de vida, da demografia,
dos indicadores de rendimento disponível e bruto, e optar-se, no caso português,
por mais uma obra de carácter sumptuário, de regime,
sepultando milhões sonegados ao carácter assistencial
e não lucrativo do Estado, nos domínios da Justiça, da Educação e da Saúde.
lkj
No endividamento pensar-se-á mais tarde, desde que Amado conserve a pose de pai-natal
dos passes diplomáticos irrelevantes e estilosos. Mas imagine-se que os casos Madoff
se multiplicam e mostram ser comuns? Imagine-se que os sistemas interbancário
e interbolsita internacionais, avaliadas bem as perdas até ao momento,
declaram como muito mais grave e muito mais incontrolável o buraco,
o problema da falta de liquidez? Imagine-se que tal cenário
paralisa ainda mais as economias?
lkj
Como é que do lado espanhol, mas sobretudo do lado português,
é possível garantir um futuro de curto-médio prazo de uma obra tão pesada
e, ainda no caso português, de duvidosa necessidade nesta conjuntura?

3 comentários:

Daniel Santos disse...

Ainda ontem falamos sobre isso.

Então não se avança coma as obras, diz-me lá, se faz favor, que é que investe e dinamiza a economia.

sabes perfeitamente as centenas de empresas que para sobreviver aguardam que o estado invista, é infelizmente um vicio mas não sei como o combater?

antonio ganhão disse...

Olha menino dia 20 à noite! Tic, tac ,tic, tac...

Tiago R Cardoso disse...

olha, um reclame às "TIC-TAC".