terça-feira, dezembro 09, 2008

INTIFADA E RANGER DE DENTES


A antecipação pelo ME da reunião com as onze organizações
que representam os professores é um gesto de poder e cheira a um ímpeto de moral
insuflado com o convencimento de caução popular que as últimas
sondagens duvidosas aparentaram. Agenda turbulenta. Mas o tom de guerra
só poderá recrudescer e intensificar-se, mesmo com desproporção de meios
pois se a verdade é que os professores se movimentam e fazem multidão
ante o desdém de quem de momento manda, o Governo,
esse tem a eficácia esmagadora dos seus Media
e o benefício maléfico da superficialidade da opinião pública portuguesa
que habitualmente se alheia do que lhe não afecte directamente a côdea de broa
e não lhe avinagre o copo de vinho. Atitude geral que invoca o desastre.
lkj
Esse idílio de vida pode não durar muito mais.

5 comentários:

Blondewithaphd disse...

Muchíssimas gracias já sabes porquê! Para a semana lá a encontrarás!

Pata Negra disse...

Já não há paciência para tanto descaramento e, no entanto, este povo existe e eu gosto dele.
Um abraço desacorçoado

António de Almeida disse...

-Para quê a reunbião depois das declarações de Sócrates aos deputados do PS? Seria mais honesto assumir a ruptura negocial, impôr o modelo e arcar com a responsabilidade política da decisão, assim passou-se um atestado de incompetência á própria equipa do ME.

quink644 disse...

Continuo à espera de que o povo português acorde, mas tem o sono tão pesado...

CLAP!CLAP!CLAP! disse...

Eu faço da leitura sôfrega destas linhas,um antídoto contra a estupidez!
Bem haja quem assim inscreve...