segunda-feira, dezembro 22, 2008

UM COLAPSO DE VELUDO


Avoluma-se a realidade dura e crua da situação precária das Universidades
e a volumosa fantasia empreendedorística governamental começa a ceder-lhe.
Humanisticamente desastrosa, esta legislatura, apesar do volume em avalancha
da propaganda, cara, indecente, mentirosa, cromo-repetida, ficará na nossa memória
como a mais lesiva dos interesses profundos e exigentes da Educação-a-sério.
lkj
As estatísticas, os índices e os números, quando substituem as pessoas,
o respeito pelas pessoas e a sua inteligência,
quando substituem a consideração e a honestidade básicas para com os cidadãos,
danificam tudo o que há de coesivo e essencial num País-a-sério.
A banca fraudolenta e insensata obtém em três tempos todos os avales.
As instituições, exoesqueleto de uma sociedade saudável,
são remetidas à míngua dos recursos mais elementares. Não lembrava ao diabo.
lkj
Com a tanga que varre as universidades, levanta-se um pouco do véu
à deriva irresponsável, mas sorridente, que perpassa
esta famigerada governação, cada vez mais famigerada
de tristemente famosa mesmo. A verdade e os factos profundos
da realidade nacional lançarão o seu grito de indignação a seu tempo e por muito
que tenha sido possível cada qual até agora manter-se no seu reduto de alheamento,
tempos virão em que, se as pessoas mais decentes não souberem fazê-lo,
até as pedras e os paus portugueses gritarão por Mudança e Moralização.

Sem comentários: