domingo, dezembro 14, 2008

PORTUGAL, PAÍS SOCIALMENTE IMORAL


Economistas de renome mostram-se apreensivos com a crise que se instala
e prevêm efeitos devastadores e difíceis de calcular nas economias,
com particular incidência no desemprego e na agudização da pobreza,
na possibilidade de deflação efeitos que paradoxalmente alguns deles
por sua vez talvez clarifiquem no médio prazo algumas
políticas com linhas de curso erradas em sociedades desiguais
e imoralmente desniveladas, como a portuguesa, corrigindo-as.
Entretanto, Manuela Silva coloca o dedo na ferida portuguesa,
sobretudo nas insuficiências e falta de visão das políticas:
lkj
«Público: Mas como é que seriam taxadas essas grandes fortunas?
Manuela Silva: É uma questão técnica. Talvez começássemos pelos salários dos gestores e administradores de grandes empresas... O que se passa nas remunerações de administradores e quadros superiores é um verdadeiro escândalo. E não só em termos éticos, é uma situação perigosa em termos de modelo social: cria expectativas em espiral, que não vão poder ser alcançadas. »

3 comentários:

Daniel Santos disse...

bem visto.

Anónimo disse...

Mas que ideia disparatada a desta senhora.
Felizmente que temos um governo que não pensa assim e trata de tributar quem pode e deve pagar impostos.
Veja-se os 50 milhões que a DGCI está a pensar cobrar aos trabalhadores independentes -- os tais dos recibos verdes.
E tudo porque esses trabalhadores independentes não entregaram uma declaração a confirmar que receberam "x" da empresa "y".
Não interessa nada que esses nababos já tivessem indicado que receberam o tal "x" na declaração de irs e que também aí tivessem identificado a tal empresa "y".
Não interessa para nada que esses trabalhadores independentes tenham pago integralmente o seu irs e o seu iva.
O fisco queria o tal papelinho -- não interessa se é em duplicado -- queria o papelinho, ponto final.
Assim, de uma exigência absurda, vai receber 50 milhões que vai espetar logo no regaço dos senhores dos bancos que, coitados, passaram agora por umas aflições que nem vos conto !
Também não interessa nada que muitos desses 200 mil trabalhadores a recibo verde estejam agora sem trabalho
-- se não arranjarem os 250 euros para a colecta de natal para ajuda dos senhores accionistas da banca estão feitos num oito.
Até a tv lhes penhoram ! E duplicam-lhes a coima que é para aprenderem a ter mais respeitinho por quem manda.
Também é irrelevante que o fisco poderia avisar o contribuinte que deveria entregar a tal declaração –seria tão fácil, quando está entregar a sua declaração de irs, receber uma mensagem a lembrar “não se esqueça, entregue
até ao final de junho a sua declaração modelo xpto”.
Agora lembraram-se desta – e vão arrecadar os tais 50 milhõezitos – depois, como os pobres metecos não vão voltar a esquecer-se de entregar o modelo xpto, inventarão outra.
Há que sacar o dinheiro a quem pode !
Estamos bem entregues – e bem governados !

Fá menor disse...

Roubar aos ricos para dar ao pobres? lol