terça-feira, dezembro 09, 2008

JERÓNIMO, A ÉTICA QUE FALTA


Acabo de acompanhar a estrevista de Jerónimo ao Mário Crespo:
estrebuchem por onde quiserem os privatizadores desastrados
de este Governo e de outros, cuspilhem estalinismos os blogues da situação
e agitem o papão totalitário que quiserem, caso o PCP fique mais forte,
que a verdade é só uma: há uma imoralidade vergonhosa
nesses movimentos privatizadores por tuta e meia,
sobretudo pelo desemprego assim acentuado e tornado banal
e pela desorganização social que esse fenómeno tem promovido.
É preciso vincar no Parlamento os interesses materiais das gentes.
lkj
«Trabalha-se para empobrecer em Portugal» e há pouca base de fundamentação
para aceitar que se promova esse estado de coisas, notoriamente
um princípio de acção governamental ao serviço de interesses velhos,
sôfregos e pouco patrióticos, que não leva em linha de conta
a realidade nacional nem sequer deseja saber dela para coisa nenhuma
e cada qual que se arranje no banco alimentar, ao deus-dará,
diante do espectáculo oco de esses sucedâneos de sentido social
e preocupação solidária nas políticas: anúncios e mais anúncios
para amanhã muito longe, pirites alentejanas que dão em nada.

4 comentários:

antonio ganhão disse...

Gosto de te ver assim doutrinado, mas esperava que estivesses a dirigir as tuas energias noutro sentido. Tic, tac o relógio é implacável.

Planetas - Bruno disse...

Meu caro é sempre mais facil ser justo e ético quando se está do lado confortaveel daqueles que nada decidem...

Anónimo disse...

Ética um carago!
Dá-lhe poder e logo vês a ética ...

Tiago R Cardoso disse...

pelo menos é transparente.