sábado, dezembro 20, 2008

QUEIRÓ, O CORTA-FITAS


Manuel Queiró tem razão: tratar o PS e o PSD como igualmente maus é um erro.
O PSD é péssimo, pior que mau, um ninho de vespas, uma cova de cascavéis
onde a deslealdade e vocação clientelar não têm fronteiras
nem olham a meios, representadas ambas no multimilionário instantâneo,
mais rápido e rapinante que a velocidade da luz, Dias Loureiro,
o grande, o ilustre torpe distraído e conselheiro coup-d’état-em-pessoa!
lkj
O PS é ainda pior que o péssimo PSD: quando no poder,
é uma agremiação de incompentes, de grunhos,
e de torcionários da política, de ultra-direita, sem palavra que respeitem,
sem promessa que honrem, e agora muito quentinhos e aconchegados
sob a figura grisalha, bazofiante, salazarenta,
de Sócrates, o Padrinho de esse grande beija-mão
dos negócios e de tudo o que mexe em Portugal,
dono de jornalistas e dono de muitas consciências bem avençadas.
A dimensão social, mau grado tanto sorriso, sofreu uma razia valente e 'corajosa'.
lkj
A resposta à crise passa por fazer implodir
o velho sistema partidário em que ninguém se revê.
Taxas de abstenção a roçar os 60% dirão da consideração
que o povo português tem pelo regime e pelos seus representantes.
Será preciso ainda mais para conduzir a uma reflexão digna?
Manuel Queiró é mais um desfasado das pessoas e da realidade: pensa ele
estarmos ainda no tempo em que o PS, o PSD, o PP interessavam para alguma coisa
e encerravam alguma espécie de esperança entre as gentes.
Esse tempo acabou. PP, PS e PSD valem uma boa bosta espalmada no pavimento.
Faz falta que acabem e desapareçam. Precisamos, como povo, de opções mais loucas
a ver se uma cura de desespero funciona a bem da maioria da população.

2 comentários:

Daniel Santos disse...

Ai sim?

então diz-me ai qual os nomes dessa solução?

joshua disse...

Santana Castilho ao poder. Mário Crespo ao poder. Jerónimo de Sousa a vice-primeiro ministro de Lili Caneças.