quarta-feira, agosto 25, 2010

CDS: CHORO E RANGER DE DENTES

Coisas, factos e evidências que contrariam os discursos de Mangualde e todas as tretas que nos impingem somente uma perpétua e irresponsável distorção da realidade. Por que silenciam quem diz a verdade e apresenta os factos puros da economia nacional?! É muito mau descobrir que o risco da dívida pública portuguesa é o segundo que mais sobe no mundo. Apenas superado ligeiramente pelo Vietname. Agrava-se 3,66%. Os Credit Default Swaps (CDS) associados aos títulos de dívida pública portugueses com maturidade a cinco anos agravavam-se hoje, Quarta-feira, em 3,66 %, para os 305,6 pontos base. A subida de 10,8 pontos base registada hoje face ao fecho de Terça-feira faz com que o custo para segurar os títulos de dívida a cinco anos, medido pela CMA, se agrave para os 305,6 mil euros anuais. No 'top 8' do custo dos CDS que mais se agravam hoje, apenas o Vietname supera Portugal, com o custo dos seus CDS a aumentar em 3,67 por cento, sendo que o aumento em pontos base é inferior, situando-se actualmente nos 259,57 pontos, menos 45 pontos base do que no caso de Portugal. O terceiro que mais agrava é Itália, cujo custo dos CDS estão a subir 3,43 por cento para os 219,39 pontos base. Dos oito que mais pioram durante o dia de hoje, de acordo com os dados compilados pela CMA, Portugal é o que maior valor tem nos credit default swaps associados à sua dívida a cinco anos. Este agravamento surge no mesmo dia em que o Estado português colocou no mercado 1.301 milhões de euros em dívida pública a seis e dez anos, com juros mais altos do que em emissões anteriores com as mesmas maturidades e um dia depois da Standard & Poor's cortar o 'rating' da Irlanda.

Sem comentários: