terça-feira, agosto 17, 2010

DEPILAR A FLORESTA

Acredito na «limpeza das matas». Por quem? De modo igualmente brando e pedagógico insisto: limpar as matas, depilar a floresta que há dentro da cabeça orçamentalmente imóvel porque falida do MAI e do MA, exige conhecimentos, sabedoria, e é, pois, uma tarefa muito mais adequada aos infatigáveis cérebros da infinita assessoria de marketing desinformativo do PS-Governo assim como mais adequada ao batalhão de motoristas que José Sócrates contratou do que atribuível aos semianalfabetos ainda beneficiários do Rendimento Mínimo de Inserção e Ostracismo, instituto aliás igualmente falido. Tal como acredito que estes pobres beneficiários, se fossem assessores do "socialismo" e integrassem o pelotão dos blogues da Situação Apodrecida "Socialista" [Aspirina B, Jugular, Câmara Corporativa, A Causa Foi Merdificada, O Jumento e mais uns poucos que nem escrevem de graça nem babam pelo Poder "socialista" sem paga], poderiam sempre parir algo de urgente, na actual conjuntura económica desastrosa por causa de quem está arrogantemente no Poder: a arte da Demissão. Arte humilde e impossível, onde haja "socialistas", a demissão, quando naturalmente óbvia e liminarmente necessária, tem sido uma linguagem que este "socialismo" insiste em ignorar. Pior para ele: mal possa ser punido, sê-lo-á precisamente por esse apego irracional e imoderado ao lugar. Tudo fundido em incompetência. Tudo esgotado de nulo.

2 comentários:

bytoke disse...

Muito bonito.

Mas fiquei com uma dúvida: esses tais que estão "arrogantemente no poder", como é que alcançaram o cargo?

O "apego irracional e imoderado ao lugar" resulta de quê?

Bom, certamente não terá sido de eleições, de um sufrágio, de uma consulta aos eleitores portugueses.

Caso contrário, todo este post estaria, irremediavelmente, fundido em incompetência e esgotado de nulo.

E isso seria uma trampa.

joshua disse...

Bytoque, basta mentir bem e muito para uma reeleição a todo o transe.