terça-feira, agosto 24, 2010

PROBO COMO VARA

Tenho muita pena dos que não acordaram ainda para a indústria de mentir dos assessores do socratismo e o seu estertor desesperado: vale tudo. Na verdade, esta gente cegou. Foi recrutada para cegar, mas só se pode cegar por um altíssimo preço e depois fazer, escrever, escavar, tudo ao serviço de um só, aliás "probo" como Vara. Sendo quem são, estão perfeitamente isolados no modo como isolam e atacam figuras da vida pública anti-socratismo. Não passam de coleccionadores de informação e recortes que depois instrumentalizam segundo sofismas doentios. José Manuel Fernandes remata bem um post, no Blasfémias, acerca da «latrina mal frequentada dos abrantes» e do modo como tenta adulterar e travestir as propostas constitucionais mais inócuas do adversário: «Os abrantes, os socretinos e o líder máximo resolveram foçar em direcção contrária, inventando e mentindo, mas apostando no preconceito e na intimidação. É sinal de que já perderam a cabeça e nem sequer têm esperanças de a reencontrar.»

Sem comentários: