sexta-feira, agosto 20, 2010

SEMENTEIRA DE DESCRÉDITO

A paixão assolapada do PS pelo Estado Social não passa de uma bosta cínica e de um biombo de encobrir malfeitorias e desonestidades políticas de graves contornos: porque consiste, como escreve, e muito bem, o co-blogger Tonibler, em «tirar dinheiro aos pobres para dar aos amigos». Note-se a multidão de cortes, os mais recentes na Cultura e no Ensino Superior, precisamente após ter sido noticiado que os gastos do Estado tinham excedido, em 500 milhões de euros, o que lhe tinha sido autorizado pelo Parlamento. De esses 500 milhões, quase 100 milhões eram gastos directos dos gabinetes ministeriais: o PS-Poder-Aparelho-de-Estado-Governo, nesta fase da arte, arrasa impiedosamente com as funções naturais, portanto não lucrativas, do Estado para cevar obscenamente uma nebulosa indefinida de Clientes, Amigos, Sabujos, usando para o efeito o dinheiro dos contribuintes contra o que lhe estava autorizado. Portanto, os contribuintes dão dinheiro para uma coisa e o PS-Governo-Aparelho vai gastar naquilo que lhe dará mais jeito: tachos, clientelas, amigos, pessoal de mão, assessorias, institutos feitos à medida não da necessidade, mas do Estômago Sôfrego de este pessoal sombrio, o qual, nestas coisas, entra mudo e mama calado, sobretudo tendo em conta que o Governo fez aumentar, apenas em três anos, o número de administradores públicos em setenta e um para funções redundantes uma vez que o Estado já as fazia nos ministérios: Parque Escolar, Frente Tejo, Arco Ribeirinho Sul, EMA (meios aéreos), SIEV (matrícula electrónica), Agência Nacional de Compras). Para meter os seus a tratar dos assuntos do Estado, a grelha salarial da função pública não chega, logo, há que criar Empresas Públicas para sugar o dinheiro dos pobres e assim conseguir pagar mais aos amigos. Não temos, nunca tivemos, País para isto, para esta corrupção em larguíssima e despudoradíssima escala. Estado Social para o PS é, como se pode ver, uma coisa preciosa e inalienável. Permite-lhe a "socialização" em larga escala de Favores, Tachos, Posições, apocilgando o mérito natural dos melhores e prostituindo quaisquer vestígios de decência e honestidade perante o Povo Português. Ante tal cinismo crasso, sementeira de descrédito inaudito numa "democracia" ainda imberbe e mal assumida civicamente pela esmagadora maioria dos cidadãos para muitos dos quais denunciar pecados e mentiras lesivas de todos nós é dizer mal, a vingança pode ser servida bem amarga e este PS ávido, em plena crise. Nada como ser punido, ao longo de décadas, com um exemplar exílio do Poder.

3 comentários:

Joaninha disse...

(...)uma "democracia" ainda imberbe e mal assumida civicamente pela esmagadora dos cidadãos(...)

E isto é um dos nossos grandes problemas.

beijos

Zé Povinho disse...

O poder em Portugal tem-se caracterizado por ser uma grande agência de empregos e de favorecimentos.
Abraço do Zé

Jaime disse...

a actuação do governo e da malta do PS é de facto escandalosa, mas se a maioria dos portugueses fossem cidadãos com espírito crítico isso não sucederia