segunda-feira, agosto 16, 2010

O INEFÁVEL JUBILADO

Ninguém entende regimes de excepção, sobretudo quando a regra, hoje, consiste em penalizar grosseiramente qualquer cidadão sob os mais diversos ângulos. Se este caso não saltasse para a Opinião Pública, provavelmente o CDS-PP viabilizá-lo-ia, assim que a proposta fosse apresentada. Com o brado que a matéria está a dar e com o facto de Pedro Passos, the Hare, ter invocado a trapalhada made by PS, os partidos não querem sujar as mãos com isto. Com isto o quê? Que o vice-PGR, Mário Gomes Dias, continue em situação ilegal desde 15 de Junho, data em que completou 70 anos e em que deveria, segundo a lei, ter passado imediatamente ao estatuto de jubilado. Esta situação dificilmente será resolvida. A pedido do PGR, Pinto Monteiro, um homem do peito do PS e do PM, o Governo enviou uma proposta ao Parlamento para mudar o Estatuto do Ministério Público, de maneira a que Mário Gomes Dias pudesse continuar a exercer as suas funções, mas até agora sem sucesso. O exemplo não vem de cima. O inefável jubilado está por jubilar. É isto saudável, em "democracia"? Está tudo em causa. Está tudo em crise porque isto, a coisa pública, o Estado, o PS faz questão que seja um quintal arbitrário onde planta os seus tomates e couves privativas.

Sem comentários: