domingo, agosto 22, 2010

POUCO PSD OU NADA

Se o PSD afinal não aspirar a nada mais senão a ser tão voraz sobre a Máquina do Estado como o PS-Governo tem sido, coisa de resto difícil de imaginar, não poderá ganhar absolutamente nada e não poderá seduzir para uma Causa Nobre, um Rumo Novo, esta massa de desapontados com o anacrónico egoísmo feroz, absolutamente hipócrita e inauditamente cínico do grande fazedor de discursos de Circo, José Sócrates, esse cansaço incansável na mentira política perpétua. Dizer, portanto, ao que vem e a que gula insaciável não estará disposto sobre o Aparelho de Estado, sob compromisso de honra, eis o que conviria clarificar neste ainda monte de meias-tintas, demasiados silêncios contemporizadores, que é o partido de Passos, o qual, entretanto, sabe a pouco e, no mínimo, não deveria saber a isto-mais-do-mesmo de que fala João Gonçalves: «O PSD, essa sublime "alternativa", é um aglomerado de papalvos descoordenados que se deixaram deslumbrar por duas ou três sondagens. Passos será o próximo Sócrates mas não tão cedo como muitos tolinhos ambiciosos imaginam. Dou um exemplo. No jantar de ontem, contaram-me que o "gabinete de estudos" da agremiação, dirigida por um tal Canavarro, tem trinta e uma (repito, 31) secções e subsecções.»

3 comentários:

Zé Povinho disse...

Confesso que para mim Sócrates e Passos Coelho são fruta do mesmo saco, e que a única diferença é um tal "Ângelus" que é o tutor do 2º, e isso não é bom cartão de visita.
Abraço do Zé

Anónimo disse...

"Queda de palmeira faz dois feridos graves em comício do PSD Madeira". Aposto que é coisa do Sócrates.
ahahahahahahahahah...
Tudo cai ao PSD.

Anónimo disse...

Afinal morreu, pena não ter sido o Alberto João.