sexta-feira, junho 06, 2014

O MOSTRENGO CONSTITUCIONAL

Como é que pode haver um País contente pelo facto de, resolvidos problemas sérios de uma ingerência externa óbvia e descarada, provocada pelo PS, Partido-Máfia/Partido-Festa, o Estado ter de se submeter, sequestrado, aos ditames bloqueadores do Tribunal Constitucional?! A Constituição cheira mal. E quem lhe pastoreia aleatoriamente o respeito não se lava desde a década de setenta do século XX. 

O fóssil Constitucional é defendido por fósseis sem noções de micro ou macroeconomia que não compreendem nada de contas nem de futuro sustentável. Pensam a vapor na era digital. Cunhal escreveu, mandou escrever, com os pés esse documento pós-revolucionário, num tempo sem Internet, sem Facebook, quando a informação mal pairava sobre as cabeças dos pobres portugueses, gado dócil a votar em videirinhos e em grandes estômagos regimentais com que se danou o País década após década. 

Hoje, tirando uns condóminos ferrenhos da secção partidária da esquina, a verdade e o realismo das Contas Públicas estão à mão de quem os quiser abarcar com factos e não com as fantasias subjectivistas e estatistas das Esquerdas. Os guardiões da papelada obsoleta de 1976, 32 mil palavras-verbo de encher!, não têm servido senão para nos desassossegar o presente e assassinar o futuro. Em caso de bancarrota e desequilíbrio das contas públicas, coisa que tem sido cíclica e natural, dada a propensão imbecil para preferir e eleger o Partido-Bancarrota, a Constituição não deveria servir nem sequer para acender um fogão a lenha a fim de se preparar o almoço. Deveria ser suspensa até que o Estado se pusesse a salvo de danos e perdas maiores. 

Os Partidos-Lixo, Partidos-Lóbi, Partidos da Rotatividade que nos assam vivos, desempregados e bem fodidos, deveriam rever o quanto antes o Mostrengo Constitucional. Já não há pachorra para tanta porcaria, palavreado, dezenas de páginas e páginas, chumbos-vetos canhestros do pessoal sinecural do Tribunal Constitucional. Já basta.

2 comentários:

Grego disse...

A falta de sentido de estado deste governo assume contornos de uma reacionaria contenda, atentatoria das mais elementares normas consagradas no texto magno da nação. Quem jurou cumprir com os seus ditames, e agora convoca aclaracoes sob a égide da assembléia da república, e em convenio com as vampirescas troykas , FMI's e BCE's, só demonstra o propósito de a prostituir, na casa da luz vermelha que pretendem edificar sob a supervisão dessa meretriz-mor que dá pelo nome de presidente da república. Escolhem seis juízes de carreira em treze, e ainda assim vêem as propostas rejeitadas?! Enganaram-se na escolha do bar de alterne. A lascivia com que nos foderam ao longo de três anos, é a mesma que lhes retribui a gentileza no boeiro. Uma prisão de ventre que os impedirá de continuar a defecar sobre as suas próprias juras!

José Domingos disse...

Uma contituição ultrapassada, vigiada, pelos bonzos do regime, que falam quando dá jeito. Vamos caminhar para outra bancarota, constitucionais, porque o estado, como diz na dita, deverá gerar riqueza, para a sua própria despesa. E o povo labrego, vai votar nos mesmos, na esperança de ter uma migalhitas, que caiam da mesa do orçamento.
Perdemos a vergonha, há muito tempo.