sábado, agosto 20, 2011

COR DE RABO QUANDO FOGE À SERINGA

As posições de força preventivas do Sporting, no que diz respeito às arbitragens, esterilizam as possibilidades do futebol sportinguista, jogado e provado, e vão longe de mais quanto ao efeito pretendido: punição ou retaliação, em vez de colo. O tiro está a sair pela culatra. Conversa a mais. Futebol a menos. Tempos de rabo, eterno rabejar mediático, de rabo-leva, fugir com o rabo à seringa, dar ao rabo ou dar a 'rabiola' desportivamente secundarizando o essencial: jogar, ponto. Jesus, caso continue a atirar as suas primeiras pedras às arbitragens de que os rivais são alvo, está bem encaminhado para obter para o seu Benfica para uma reacção como esta que amaldiçoa. A propósito de rabejar e atacar de costas os problemas do jogo jogado, nesta noite, apesar da vitória benfiquista, "Rabiola, jogador do Feirense, empatou o resultado no segundo tempo e lançou a equipa benfiquista para longos minutos de nervosismo".

2 comentários:

floribundus disse...

na Colômbia estava no comando um bimbo convencido que se chamava Queiroz

Anónimo disse...

Jesus, quando te apunhalarem pelas costas, não vais ter onde cair.

Cumprimentos

Danny