domingo, dezembro 14, 2008

FARSA EM X-ACTO


Ebenezer Scrooge nem era assim tão mau e teve os fantasmas caridosos
a trabalhar-lhe a mortalidade esquecida e avara em tempo de Natal
até que o sorriso e o prazer na felicidade alheia florescessem, sobretudo
para com as pobres crianças exploradas e mal-tratadas.
lkj
Pelo contrário, o BdP, é uma realidade sistemicamente má, a supervisão
infra-audita e subvisiona. Falho e tardio em todas as coisas e em todas as horas,
debalde nos fará crer servirem estas acusações a elementos do BCP
[Jorge Jardim Gonçalves, Paulo Teixeira Pinto e Filipe Pinhal,
o BdP notificou ainda Cristopher de Beck,
António Castro Henriques, António Rodrigues e Alípio Dias.
Estes têm agora 30 dias para se defenderem
das acusações de que são alvo por parte do BdP.
O supervisor deixou de fora da acusação três ex-executivos:
Alexandre Bastos Gomes, Francisco Lacerda
e o polaco Boguslaw Kott] para alguma coisa mais
a não ser para a única forma de punição fática que existe em Portugal:
uma longa, penosa e inconsequente queima na suave e lisongeira fogueira mediática
até que a náusea e o desgaste gerados no público dêem por encerrada a novela.
O X-acto da verdade está rombo em Portugal. A farsa rende.
lkj
Manobras de diversão à portuguesa que relaxam as costas de muita gente
que suspira, «Ufa, do mal o menos!».

2 comentários:

antonio - o implume disse...

Enquanto fluir dinheiro da europa continuaremos a eleger corruptos e aldrabões. Quando só estiver o nosso dinheiro em jogo seremos mais cautelosos com o nosso voto. Esse é verdadeiramente o risco sistémico!

Zisco disse...

Pensava que corrupção era coisa das terras de cá, do outro lado do atlântico, kkkkkk!!!!
Fico feliz em conhecê-lo, amigo poeta.