sexta-feira, outubro 24, 2014

AUTO DA PORCA DO REGIME III

[As aventuras do Santa Alcoveta] 

SóCrash, o Santa Alcoveta, a regra excepcional do Regime, sente saudades do seu galfarro e discípulo Paulo Campónios. Decide convocá-lo para um jantar numa tasca da Capital. Campónios, feliz por poder ver o mestre, é o primeiro a chegar. Pouco depois, chega o Santa Puta, animado com a promessa de um delicioso repasto, o seu café e o seu cigarro: 

— Olá, meu filho Campónios, como vais, pá? 
— Melhor que nunca, sobretudo depois de o crápula do Seguro nos ameaçar evacuar das listas de deputados para as legislativas de 2015, conseguimos pô-lo a andar primeiro... e tu, Santa Puta?! 
— Estou muito bem, pá... Não... aquilo foi muito bem jogado por nós... Se eu vos perdesse no Parlamento, perderia boa parte da minha força conspirativa no Partido e no País. 

— SóCrash, tu já viste aquela cena do Vítor Bento? 
— Qual merda? O que é que tem o Vítor Bento, pá, Campónios? 
— Antes de sair para a direcção do nosso BES, que degenerou em Novo Banco, o gajo pediu a reforma antecipada do Banco de Portugal. 
— E? 
— O governador Carlos Costa aceitou. 
— E então, Campónios? 
— Só que o gajo nunca chegou a assinar os papéis.


— Não me estás a dar novidade nenhuma. Os gajos do Banco de Portugal são como nós, pá. Estão ali para mamar forte, Campónios. 
— Pois, Santa Puta, mas esta porra pode servir-nos, pá, ou ganhamos o Bento para o nosso lado ou o conspurcamos como um exemplo da Direita Decadente... 
— Essa ideia tá bem urdida, ó Campónios... 
— Obrigado, SóCrash... Toda a gente sabe que após um mês de férias, o Bento aterrou esta semana naquela instituição exemplar e impoluta, o Banco de Portugal. 
— Filho da mãe... 
— O tipo está lá desde 1980, segundo o Banco. 
— O gajo é uma relíquia, Campónios. 

— Pois, Santa Puta, mas mesmo tendo desempenhado vários cargos nos últimos anos, por exemplo, a presidência da SIBS, o gajo manteve o seu cargo no BdP. 
— E daí, bastar-lhe-ia pedir uma licença sem vencimento... 
— ... Só que antes de aceitar o lugar no nosso BES, o tipo pediu a reforma antecipada sem nunca assinar o pedido e formalizá-lo, apesar de ter sido enviado para o regulador dias antes da demissão. — O tipo é tão esperto como nós temos sido, Campónios! 
— A partir do momento em que o filho da mãe cessou as funções que desempenhava no Novo Banco, reassumiu, por direito, a condição de empregado em efectividade de funções no Banco de Portugal... 

— ... Essa é a conversa da treta do Banco de Portugal, Paulo... 
— Sim, mas repara, Santa Puta, que ficamos sem saber que raio de cargo o gajo assumiu, agora que regressou... 
— Pois... Ora se o gajo entrou no BdP em 1980 por convite cujo convidador desconhecemos... 
— ... Em 1980 já não havia governador no activo, depois do nosso Silva Lopes ter saído... 
— É verdade... e o nosso Constâncio só entrou em 1985... E nunca mais de lá saiu, apesar de ter andado por outras instituições... Campónios, este gajo, o Bento, foi sempre trabalhador do BdP enquanto trabalhava para outras instituições privadas... 
— Só faltou integrar um Governo, Santa Puta... Ehehehehe 
— Ok, o tipo tinha licença sem vencimento, mas essas licenças tinham um período de validade máxima de 3 anos e o tipo foi sendo promovido, mesmo sem lá estar, seguindo a regra da merda do regulador. Há outros gajos nessa mama automática. 

— São tão porcos e oportunistas como nós, SóCrash. 
— Usam a nossa ética de merda, Campónios. 
— Mas então esse Bento, antes de ir para o nosso BES e depois o Novo Banco da Direita, o gajo pediu ou não pediu a reforma antecipada? 
— Pedir, pediu, mas como não chegou a assinar... Não pediu. 
— O gajo parece a gente com a narrativa da Direita a chamar o FMI, Santa Puta... ehehehehe 

— O gajo é mas é muito esperto. Mas essa é a cultura da instituição, que é um putedo imoral pegado e já não sei se foi o nosso Rato que lhes ensinou tudo o que sabem e praticam, se foi o contrário... Campónios. — Esta merda convém-nos, pá. O gajo saiu do Novo Banco zangado com o Governo Decadente da Direita, por que é que não lhe fazemos um convite para apoiar o teu gajo, o Costa?! 
— Campónios, tu vai em frente, explora os canais e sonda o homem, pá. O gajo é um exemplo para a nossa estratégia de desacreditação desta porcaria de democracia de mamões como nós. Ele é a elite, tal como nós. 
— Eheheheh Somos uma vergonha, Santa Puta. 
— E ele também, Campónios. 
— Tu repara, SóCrash, meu mestre, que, estes economistas que ora estão a trabalhar para o regulador, ora estão a soldo dos regulados, para quem não existem incompatibilidades só nos dá força quando o ignorante médio diz que são todos iguais. 
— Exactissimamente, Campónios, meu filho. 
— E que um gajo que é promovido no Banco de Portugal sem lá pôr os pés há uma data de anos por estar em licença e acha normal e também acha normal esquecer-se de assinar o pedido de reforma e depois andar por aí a bolçar opinião nos canais todos, recebendo por isso só nos estimula na arte de rapar e assinar PPP para a Direita pagar. 
— Nem mais, Paulo Campónios. 
— Pá, foi porque o tipo não assinou os papéis que não perdeu o vinculo ao BdP e é bem possível que o BdP tenha continuado todo esse tempo a depositar-lhe o vencimento, quando em qualquer outra entidade o gajo teria sido demitido com justa causa. 
— Caga nisso, Campónios. Está tudo muito bem. O Bento deixou de prestar a sua actividade sem titulo legitimo, isto é, sem autorização com consequente desvinculação ou licença sem vencimento que formalizasse a situação e é precisamente por isso que o BdP, enquanto entidade reguladora das ilegalidades praticadas pelas entidades reguladas, tem cumprido zelosa e cabalmente a sua função... 

— Ahahahahahaahha, Santa Puta... 
— Eheheheehehehee, Campónios. 
— No meio desta merda toda, Santa Puta, não sabemos que tipo de contrato individual de trabalho o gajo tinha e que agora é a norma das relações de trabalho no BdP. 
— Sim, para fugir aos cortes, por exemplo. A instituição funciona como se fosse um instituto público com regras privadas para o que lhes interessa. São tão parecidos connosco que sabíamos ter muito pouco tempo para rapar o que queríamos... E fomos bravos e corajosos, Campónios. 
— Se o espertalhaço do Bento desde 1980 andava por fora do Banco de Portugal como é que conseguiu estar outra vez dentro daquela merda e que contrato tem para ter direito à tal reforma, Santa Puta?! 
— Caga nisso, Campónios. Pensa mas é que o nosso BES foi pró caralho, a nossa PT foi pró caralho e o BdP só não vai pró caralho porque até fica mal, mas é lá que está também a filharada do Regime com os privilégios acima da Lei, fora da Lei, apesar de legais, que nós bem conhecemos. 

— Tanto dinheiro, pá, Santa Puta. Um gajo até fica com raiva, pá. Isto não pode mesmo dar para todos. Só dá para quem é esperto, como o nosso Bento... 
— Como o nosso Constâncio, Paulo... 
— O Banco de Portugal é o nosso Largo do Rato do Sistema Bancário Nacional. O Rato regula a política e é dono do Regime. No mais, faz como Frei Tomás, emperra e não faz. 
— Sim, mas o nosso Padrinho Don Marioleone já nem esconde o apodrecimento mental naquela cabeça de aterro sanitário... Elogia o Isaltino, que é um comissionista corrupto como nós, só que pior que nós por ser da Direita Decadente... Já esqueceu o número do Frei Tomás... Repara que inocenta para cima dos jornais o nosso Salgalhado, que está mais queimado que um tição... Às vezes penso que o nosso Don Marioleone tem pesadelos como o de ser linchado como os lesados do nosso BES desejam linchar o Salgalhado... 

— Coitado de Don Marioleone, Santa Puta... 
— Puta que o pariu que me quer longe da política... Olha lá, ó Campónios, fala mas é com o nosso herói, o Bento. 
— Sim, eu mando falar. Eh, pá... Soube que jantaste com o Diabo... 
— ... e com o Paulo Querido... 

Desta forma se concluiu a instrutiva e salutar conversa entre o Santa Alcoveta e o Paulo Campónios acerca das delícias do Regime, tratando-se de dois dos mais extraordinários governantes que esta República já viu. Agora que o Campónios está na órbita do Costa, o Gajo do SóCrash, que maravilhas e decisões portentosas nos reservará quando integrar o próximo Governo Socialista de Portugal?! Sobrará Portugal para tanta barriga com mais barriga que olhos?!

Sem comentários: