quinta-feira, agosto 26, 2010

ASS E O ASS MÁXIMO

Isabel, tu és um ser humano bom, meigo, à parte. Não poderia esperar senão que defendesses ASS mesmo com um argumentário comparativo de carácter historizante, coisa para que um filão de recortes e uma memória de elefante não parecem faltar. Madre Teresa de Calcutá costumava dizer que nada há de mais perigoso que a mentira. ASS apenas falou de mais. Deve sair por isso, mas não deve sair só. A fórmula de Governo sem o Povo, contra o Povo, para além do Povo foi levada longe de mais pelo ASS Máximo. A cair ASS, com muitíssima mais razão deveriam cair os restantes ASSES que têm sido este Governo, especialmente o ASS Supremo, o de Ouro, se me permites a imagem literária.

1 comentário:

floribundus disse...

esse artista é de pexisbeque de feira