domingo, agosto 29, 2010

DESPROGRESSÃO E LITÍGIO

Deslealdade sem tamanho que prima pela incapacidade de não surpreender, ultrajando quem trabalhou e confiou! Coitados dos três mil trabalhadores da Administração Fiscal. São obrigados a avançar para um mega-processo judicial contra o director-geral das contribuições e impostos, José Azevedo Pereira, que revogou os pontos por eles acumulados nos últimos anos e necessários para progredir na carreira. Será em Setembro que a acção judicial avançará. Procurarão anular a revogação feita por José Azevedo Pereira à pontuação dos funcionários  acumulada nos últimos anos: em 2009, os trabalhadores do Fisco tinham uma determinada classificação. Ela foi alterada em 2010, impedindo-os de progredir na carreira. O Estado, além de não ser uma pessoa de bem, também não tem palavra, embora se refugie no PEC e no OGE como emergências justificativas, obteve afinal dos seus funcionários a produtividade que depois não cauciona, pelo contrário, sanciona. 

Sem comentários: