sábado, agosto 28, 2010

LADRÕES DA ESPERANÇA

Desde sempre o terror completo só se consumou quando, encurralados, nada nem ninguém devolvia a Esperança às vítimas. A mestria nesse aspecto, o furto da Esperança, aperfeiçoa-se, requinta-se. Uns, cretinos inumanos, dominam-na melhor que outros, sequazes ineptos, e hoje, em Portugal, temos mestres acabados do desânimo inculcado na doxa e na psique colectivas: uma avalancha de propaganda. Uma exposição radioactiva à mentira cerrada. Eis o que carreia exactamente para as massas o mesmo efeito desesperançador. Nenhuma esperança nos advém de lado nenhum. Nem das instituições nas quais supostamente deveríamos confiar. Nem do Presidente da República. Nem do Parlamento. Nem dos líderes da Oposição. Ninguém. Nada dos arrebata. O nosso campo de concentração em que nos encerram está fechado à esperança, à regeneração, mas aberto ao papaguear da demagogia. A não ser algumas sentinelas, de resto logo abafadas e espezinhadas, nada! Perversões na vida pública têm velhos e acérrimos defensores com acesso imediato aos media. Crimes e actos celerados passam em claro e até alguns ilustres os justificam. A "democracia", que é um mito, degrada-se, avilta-se. Parece não haver saída. Quem são esses ladrões da nossa esperança?! Quem nos libertará de um Regime desavergonhado ao nível do pior centro-sul-americano?!

1 comentário:

floribundus disse...

republiqueta laurentina
'vem à janela'