sexta-feira, dezembro 07, 2012

UMA PANELEIREZA PORTUGUESA

Ficheiro:Presidential Standard of Brazil.svg
Sintomático que o Governo brasileiro adie, para já, a vigência obrigatória do Novo Acordo Ortográfico para 31 de Dezembro de 2015 por ser uma ‘colcha de retalhos’ e muitos professores ainda não saibam como aplicá-lo. Para tanto bastou ouvir professores de Português e destacados no meio literário brasileiro, que criticaram o acordo e fizeram um abaixo-assinado, com mais de 20 mil subscritores, contra o actual texto, o qual será revisto. Diz senador Cyro Miranda que “O acordo [ortográfico] está muito confuso. Acredito que tanto Portugal como o Brasil vão pedir para que ele seja revisto”. Deslumbrada e provinciana, a elite-nata que se encheu de tusa por ele desde logo aqui, em Portugal, está a averbar derrota atrás de derrota, o que é bom. Primeiro em Angola. Agora no Brasil. Isolados na sua paneleireza abstrusa. A Babel interposta na Língua tem feito o seu caminho de impactos e absurdos.

2 comentários:

Anónimo disse...

Como é possível que o Senhor Presidente da República e a Senhora Presidente da A. da República estejam a dar cobertura a um decreto que não pode entrar em cumprimento, porque não cumpre todos os requisitos? Mas que país é este quando quem deveria velar pelo cumprimento da legalidade faz tábua raza dessa mesma legalidade? Que país é este quando um embusteiro e uma posto regente escolar tentaram impor ao país, por decreto, a ortografia brasileira de favela, quando isso é assunto de linguista , filólogos, filósofos e grandes intelectuais ligados à literatura e às humanidades? O outro do governo de Sócrates também decretou o fim da crise, lembram-se?

ManDrag disse...

Esse acordo é a estupidez mais absurda que se inventou nos últimos tempos. E querem-no impor de qualquer modo! Basta mudar de lugar e passar a viver o quotidiano no outro país para se ver como o acordo é estúpido e sem modos de ser aplicado.