segunda-feira, fevereiro 18, 2013

GRANDE ÁLVARO

Conforme sublinha o Miguel por outras palavras, não temos uma tradição de discurso nas questões nacionais independente que separe o trigo do joio, distinguindo ministros excepcionais, como Paulo Portas e Álvaro Santos Pereira, dos que não diferem da modorenta mediocridade do sistema político e do Regime: «Álvaro Santos Pereira meteu uma lança em África, conseguiu o acordo com os argelinos para a construção por empresas portuguesas de 75.000 (sim, setenta e cinco mil) casas, um bolo de 4 mil milhões de Euros (4.000.000.000) que vai aliviar a crise no sector da construção civil e garantir emprego por quatro anos a centos de técnicos portugueses. Ninguém diz nada. Não há um louvor, um gesto de simpatia. Este país está, decididamente, a afogar-se na patologia derrotista e só dá ouvidos aos profetas da desgraça, por acaso os profetas que nos trouxeram ao desastre. Temos um grande ministro da Economia, como temos um excelente ministro dos Negócios Estrangeiros. Mas isso não interessa aos abencerragens de sempre, aqueles que confundem economia com subsídios, mão estendida em concha, mendicância e chupismo dos Euro-fundos.» Combustões

2 comentários:

José Domingos disse...

O jornalismo de merda, cá do burgo, não está autorizado a falar no assunto.
Tem que ser "quanto pior, melhor".
Estão na ilusão que os alemães vão voltar a emprestar dinheiro, para continuarmos rumo ao socialismo.
Povo de imbecis.

Anónimo disse...

O combustões acredita na realidade virtual...Não há dúvidas, vem da twilight zone.

João Pedro