quinta-feira, dezembro 19, 2013

MARTINON

Camille Corot, Mulher com uma Pérola
Não entendo as tuas indisposições, Frédéric.
Não têm causa razoável pois não podes invocar qualquer infelicidade,
Não compreendo nada das tuas lamentações sobre a existência.
Eu, sim, vou todas as manhãs à Escola,
passeio depois pelo Luxembourg,
tomo à tardinha a meia chávena no café,
e, com mil e quinhentos francos por ano
e o amor desta operária,
sinto-se perfeitamente feliz.

Sem comentários: