domingo, dezembro 22, 2013

REVÉRBEROS NA LAMA

«Os bicos de gás acendiam-se; e o Sena...» Candeeiros de gás, Paris, 1877-1878.
Depois voltavas a subir lentamente as ruas.
Os revérberos oscilavam,
fazendo estremecer na lama longos reflexos amarelados.

Sombras deslizavam na berma dos passeios,
com guarda-chuvas.
O pavimento estava gorduroso,
a bruma caía,
e parecia-te que as trevas húmidas,
envolvendo-te,
desciam indefinidamente ao teu coração.

2 comentários:

Adelino Ferreira disse...

Tudo lindo menos o coração.Eu sei, eu também falo de cor! Mas...

Floribundus disse...

Irmão em muitos parâmetros

o melhor Natal possível