sexta-feira, fevereiro 20, 2009

JAIME E AS LINHAS DE CRÉDITO-COCA


O ministro inenarrável da Agricultura também traz no bolso linhas de crédito para a amêijoa com boa cara, apetecíveis graças ao esquema de juros. Seja como for, isto parece que vai tudo a linhas de crédito e menos em se resolverem os problemas sistemicamente, com inteligência e transversalidade. Vai tudo a linhas. De crédito! Frete que se arranja aos bancos com os spreads abusivos de que tanto se fala, nos outros casos. Tratando-se da amêijoa, os critérios, vistos de fora, parecem atractivos. Veremos, tanto mais que o Desaparecido Jaime ainda não libertou aquelas largas centenas de milhões de euros para Agricultura. «O ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas anunciou hoje a abertura de uma linha de crédito para ajudar os viveiristas da Ria de Aveiro que perderam a produção devido às chuvas. Jaime Silva, que esteve reunido com representantes dos criadores de amêijoa em viveiro, instalados no Canal de Mira, disse aos jornalistas que o Governo está disposto a reabrir uma linha de crédito para o repovoamento das explorações."Será uma linha de crédito com carência de capital durante um ano e carência de juros durante quatro anos, para que possam retomar a actividade", esclareceu. O ministro salientou ainda que estão disponíveis fundos do programa PROMAR que podem auxiliar os proprietários dos viveiros a reduzir os riscos da actividade, bem como apoio técnico e científico do Instituto de Investigação das Pescas e do Mar (IPIMAR). "O IPIMAR tem investigadores e os produtores devem dialogar com eles" comentou Jaime Silva». São servidos de linhas de crédito para mercearia e tabaco?! Marca da legislatura e linha de rumo que vinha do passado foi o grande desactivanço das pescas e da agricultura nacional em favor dos interesses produtivos e escoadouros de Espanha. Mas não deixa de ser notório sobretudo o enorme desaparecimento de qualquer acção de relevo e visível diligência, a bem dos Pescadores e dos Agricultores, de esse também enorme e obediente funcionário dos burocratas de Bruxelas chamado Jaime, ventríloquo-puppet do PM, que é todo o Governo porque o Governo é uma entidade Unipessoal como de resto o partido que simbolicamente engoliu. Ele suscita um asco só equiparável ao despertado pela dupla burocrato-cretinóide, no plano político, claro, que no plano pessoal não nos interessa para nada, Lino-Pinho.

Sem comentários: