quinta-feira, agosto 30, 2012

CAVALO DESPOSA HOMEM

Tirando o facto de um certo tipo de poligamia clandestina ser vulgar e cultural, no Brasil, permissiva e casuística, a prática legal de alguns países vai acomodando a conveniência e é possível antever que, uma vez lassas as estremas que nos separam da barbárie ou de culturas de submissão e opressão da mulher, quase tudo será possível em nome dos apetites de cada qual ou de certas excepções expostas, como cabeças cómicas de presas insólitas, nas paredes mediáticas, sala dos troféus de caça. Uma vez que a poligamia manifestamente não faz justiça nem à realização pessoal nem à dignidade humana, neste caso, estando em causa o direito à felicidade e à caricatura social, às perguntas qual delas é a amante, qual delas a esposa, qual delas a puta, qual delas a séria, não interessa responder.

Sem comentários: