quinta-feira, agosto 29, 2013

O GRANDE INCÊNDIO CONSTITUCIONAL

Chumbado, pelo Tribunal Constitucional, o novo regime que criaria o sistema de requalificação na função pública porque viola o princípio de protecção de confiança dos trabalhadores do Estado quanto à estabilidade do vínculo laboral, abre-se um problema de quatrocentos e tal milhões de euros que incumbia ao Estado Português poupar. Nós e os nossos bloqueios, obsolescências, mais fadados para a paralisia que para actos de coragem e ruptura. Dir-se-ia que, lavrando um monstruoso incêndio, manda a Constituição que se não apague com agulhetas. Cada qual segure as pilinhas e dome as labaredas como puder. Nesta matéria, as barricadas estão definidas.

2 comentários:

Miguel Loureiro disse...

Só que há pilinhas bem grandes, que atearam o fogo e ainda não contribuíram com uma mijadinha... Quem fez o calote que pague e não é preciso muita imaginação.
Nota - Quando se diz "sistema de requalificação na função pública", quer dizer-se DESPEDIMENTOS. Deixemos de mariquices linguísticas.

Miguel Loureiro disse...

PPP. Empresas, Estado e bancos têm de fechar acordo este ano para poupar 300 milhões.
Como esta poupança se refere a redução de obras e obrigações contratuais, é só multiplicar por 3 e já ajudam a apagar um dos fogos ativos que geraram...
http://www.ionline.pt/artigos/dinheiro/ppp-empresas-estado-bancos-tem-fechar-acordo-este-ano-poupar-300-milhoes