segunda-feira, agosto 19, 2013

TRATADO DAS LÁGRIMAS PELA MÚSICA

Gary Oldman
Por vezes acontece-me rever um filme, mil vezes revisto e no entanto sempre amado, relativo aos compositores em que me deleito. Por algum motivo, neles-filmes, a personagem música, a velha personagem "música", associada ao sofrimento inefável dos biografados, acicata e faz-me copiosas as lágrimas que por nenhuma outra razão nem sob quase nenhum outro pretexto me lavam a cara. É o caso de Amadeus, mil vezes, e mil vezes o caso de Immortal Beloved.

Sem comentários: