domingo, novembro 28, 2010

A LENGA-LENGA QUE NOS VENDEM

«... o endivimanto não resulta de uma bebedeira consumista que leva os povos a viver acima das suas possibilidades, mas de um desvio dos recursos disponíveis de parte da população para os mais favorecidos; que a crise não resulta, como nos querem vender, de um excesso de Estado Social, mas de um falhanço no papel redistributivo do Estado; e que as medidas que estamos a aplicar, com redução de prestações sociais e dos custos do trabalho, apenas agudizarão a crise. Como em quase todos os estudos que vão saindo, os números contrariam a lenga-lenga que nos vendem todos os dias.» Daniel Oliveira, PNETcrónicas

3 comentários:

floribundus disse...

aldrabão domingueiro:
'eu não estou aqui para enganar ninguém'

fujam do 'alimal feroz'

Karocha disse...

http://infamias-karocha.blogspot.com/

angelo ochoa disse...

jOAQUIM:
pLENAMENTE DE ACORDO COM OS SUBLINHADOS TEUS EM ESPECIAL.
a ATROCIDADE INFAME É QUE NA POUCA VERGONHA EM QUE VEGETA ESTE ESTADO PERDEU POR DESNORTE O SENTIDO DE JUSTIÇA DESTRIBUTIVA. A ASSIM SER SÓ HÁ UMA SAÍDA -- DESCRER PROFUNDAMENTE DOS HOMENS, CRER MAIS PROFUNDAMENTE NO dEUS ROCHEDO E SALVAÇÃO ÚNICA NOSSA.
tE ABRAÇO,
oCHÔA