quinta-feira, abril 12, 2012

FILHODAPUTALOGIA SOCRATESIANA APLICADA

O cabrão brochista anónimo e assessor socratesiano típico está fartinho de disfarçar e atenuar o facto cristalino de Sócrates ter gamado em comissões, directa ou indirectamente, centenas de milhões de euros ao Estado, parte dos quais foram colocados em offshores em nome de familiares seus: vem no Correio da Manhã, tipifica o modo de contornar todas as eventualidades próprio dos variadíssimos corruptos impunes, imunes, intocáveis, protegidos, que temos por aí. O cabrão brochista anónimo e assessor socratesiano típico disfarça retoricamente o mais que possa que Sócrates se rodeou de escroques e meliantes pelo menos nas onerosas assessorias como a do cabrão brochista anónimo e assessor socratesiano típico «Luís, estou bem assim ou assim?» para vender chouriços de patranha e optimismos fode-contribuinte, pelas TV, homilias rascas pela TV, sermões gesticulatórios de encher pelas TV, e assinar contratos comissionistas com empresas amigas, bancos amigos, contratos esses que lesaram o País em milhares de milhões de euros e destruíram o desafogo fiscal das próximas gerações. Finalmente, o cabrão brochista anónimo e assessor socratesiano típico odeia a coragem do Correio da Manhã, onde se vem demonstrando cristalinamente que Sócrates abusou do Poder, controlou com desmesura os media, manipulou com despudor as massas, transformou e avacalhou a governação em circo de impossíveis numa tourné permanente, fazendo de cada causa pseudofracturante o mesmo pão circense que servisse de biombo a tudo o resto malicioso, nomeadamente à dívida pública feérica, nunca nomeada, nos seus esgares de cretino, nunca aludida, nas suas poses de louco. Graças à corrupção moral e venalidade crassa dos nulos actores na cúpula do Poder Judicial, Sócrates nem vai a tribunal nem talvez vá, o que nos resume. O cabrão brochista anónimo e assessor socratesiano típico só pode ganhar dinheiro por escrever todos os dias acerca da divindade imaculada de José Sócrates, que soube federar na mesma ou pior língua de pau e língua de palmo, nas mesmas ou piores teimosias asininas e agressividades bestiárias, Maria de Lurdes Rodrigues e, um pouco menos, Isabel Alçada, que pudemos ver a defender a Festa Fútil da Despesa em discurso ridículo e insano na comissão de inquérito, levando os deputados e o País às lágrimas de tanto rir. A filhadaputologia socratesiana está a deixar escapar material precioso para o estudo do cabrão brochista anónimo e assessor socratesiano típico, um dos espécimens mais puros em todo o reino animal capaz de fellationes e prostituições intelectuais de semelhante calibre.

3 comentários:

Dédé disse...

Caso Portucale SOBREIROS DEPOSITAM UM MILHÃO DE EUROS NA CONTA DO CDS E DEPOIS COMETEM SUICÍDIO COLECTIVO.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Mentiroso disse...

Não vale a pena ser tão vinculativo em casos generalistas. Mesmo sendo tudo correcto,se o Sócrates apresentasse uma candidatura, o mais provável seria ser eleito, tal como o Cavaco, que arrasou a produção nacional em toda a linha e todos os campos, construiu as estradas assassinas e a sua corja enriqueceu toda da noite para o dia, andando ainda os ladrões todos à solta, foi eleito e reeleito.

O caso dos submarinos fez prender o ministro dos negócios estrangeiros na Grécia, enquanto cá ainda anda em investigação. Os tipos da Portuscale foram todos absolvidos.
Com um primeiro-ministro cadastrado é uma vergonha para o país e ele não pára de provar que é um miserável aldrabão e vigarista.

São todos iguais. De quem é a culpa, se não de quem neles vota.

Conclusão:
O que é necessário é consciencializar a população que a culpa e dela por os aprovar e votar neles, tudo aceitar cobardemente e chorar-se pelos resultados que provocaram.