segunda-feira, abril 16, 2012

O VAGAR PASSISTA NA REVISÃO DAS PPP

«Quando a troika aterrou, trouxe os seus modelos. Falhou logo uma previsão: a de que o ano de 2011 seria pior que o de 2012. Não foi. Nos modelos da troika, o simples agendamento da austeridade levaria os portugueses a arrepiar o consumo. Mas só quando o dinheiro deixou mesmo de entrar, em Janeiro (quando convergiram as piores medidas, sobre salários, pensões e impostos) é que os agentes económicos congelaram. Mas há mais. Há a tolerância aos lóbis, que os espanta. Quando é posta em cima da mesa a recomendação de que aqueles que promoveram as parcerias público-privadas devem ser expostos à vergonha, não é nada de pessoal contra José Sócrates, Mário Lino ou Paulo Campos. É porque já não sabe o que mais se há-de fazer. É porque os contratos estão a ser revistos… poucochinho.» Pedro Santos Guerreiro

3 comentários:

Anónimo disse...

O nosso problema nunca esteve nos produtores de calçados ou de Texteis.
O nosso problema está e esteve nas elites dirigentes.
Os politicos continuam a ser muito forte com os fracos e muito fraquinhos com a EDP,PPP,e grandes empresas privadas que estão sempre encostadas ao EStado.
Estamos a ficar cansados de esperar pela famosa equidade do Sr. Primeiro Ministro.
Quando serão revistos os contratos com a EDP e PPP? serão revistos nesta decada?
tenho duvidas.
Quando iremos começar a consolidar o Orçamento pela despesa e não pela receita?
O Sr. MInistro dos Negocios Estrangeiros continua a encher o deposito de combustivel em ESpanha?
O problema não está em quem trabalha,está em quem lidera

floribundus disse...

o lixo humano vai quase todo para a politica
nada a fazer

Anónimo disse...

A mim o que me espanta mesmo é a ingenuidade de pessoas que fazem comentários destes. Mas será que alguém acredita que Passos Coelho ou outro qualquer para chegar onde chegou não teve que negociar e fazer promessas a tudo quanto era lóbi, empresário, banqueiro, etc? Por favor, não se armem em virgens e não ofendam a nossa inteligência.