sexta-feira, julho 20, 2012

CORRUPÇÃO FREEPORT E O FUTURO

É impossível não sentir alguma simpatia e benevolência por pessoas como Charles Smith e Manuel Pedro. Foi porque Charles Smith revelou que a promotora do Freeport tinha pago luvas a um político num alto cargo governamental que tudo isto começou e tudo isto vai terminar ao lado do que realmente está em causa e interessa. Basta pensar que, nesse Governo demissionário, havia um relatório de impacto ambiental desfavorável ao empreendimento que só um certo pagamento poderia resolver. Havia até um destinatário para o mesmo dinheiro, o Ministro do Ambiente à data dos eventos, que mais tarde acusou Charles Smith de ter usado o seu nome para extorquir o suposto dinheiro de luvas ao promotor do empreendimento, mas o certo é que Charles Smith a ficar com o dinheiro, nunca poderia ter revertido o estudo de impacto ambiental transformando-o de desfavorável em favorável. Quem vai encalacrar-se sob uma acusação estapafúrdia de extorsão? Smith e Pedro. São acusados de extorquir dinheiro à promotora do empreendimento à pala do nome de ministros, autarcas e outros para dar mais solidez às suas supostas pretensões de anjinhos. Em todo o caso, este julgamento serviu para perceber pormenores. Sabemos quem recebeu. Sabemos como recebeu. Percebemos de que forma o dinheiro era entregue a outros implicados. Conhecemos a teia dessa de corrupção até chegar ao Ministro do Ambiente. Se o crime de extorsão não pôde ficar provado, uma vez que Smith e Pedro não extorquíram o dinheiro ao promotor para ficar com ele, só pode ter sido dado a outros, pois, não restam dúvidas, esse dinheiro foi efectivamente pago. Falta é dar o passo seguinte. A absolvição de Smith e Pedro do crime de extorsão é da mais límpida justiça. Ambos intermediaram dinheiro recebido por corruptos. Ambos participaram num crime de corrupção, mas apenas como pombos-correio da recepção, transporte e entrega de guito. Irónico é que corruptos acusem outros bem frágeis e abaixo na cadeia alimentar de terem usado o seu nome para se aproveitar pessoalmente da situação. Smith e Pedro são homens comuns, sem rasgo para esquemas nem lata para fugir em frente e muito menos capazes de expedientes demasiado arriscados para a sua pacatez. Ninguém imagina que tivessem ânimo para ficar com o dinheiro de um suborno congeminado lá no topo e que desbloqueou um parecer aparentemente desfavorável e nisso irredutível. Só falta a abertura imediata de um processo para acusar e condenar os corruptos, cujos nomes foram referidos e confirmados por inúmeras testemunhas. Rastreado o dinheiro colocado nos cofres do partido e nos bolsos atrevidos de quem se sabe, porque espera o MP?!

2 comentários:

Anónimo disse...

vc ou e realmente muito basico ou o odio tornou-o assim.
Vaiu continuar a envelhecer triste, sozinho e rancoroso, e muito satisfeito por isso.

Luis Moreira disse...

Este anónimo é mesmo anónimo. Que atrazo!Gosta de ser enrabado.Bom proveito.