quinta-feira, julho 12, 2012

DA CRASSA IDIOTIA SEGURISTA

«A factura que nos deixaram para pagar é enorme e tem de ter um fim. Um governo não pode massacrar a população num torniquete fiscal interminável e deixar empresas a viver de rendas por compensação de carros que não passam nas suas concessões. Invoque-se o interesse público e exproprie-se, nacionalize-se, compense-se ou faça-se o que tem de se fazer para acabar com a sangria. Invoquem o interesse nacional como o fizeram com os cortes salariais na função pública. Não terão milhões contra a medida. Pelo contrário terão milhões a apludir de pé. Mas faltando esta réstia de coragem e sentido de responsabilidade, ainda assim podíamos estar pior. Podíamos ter um imbecil do calibre de Seguro como 1.º ministro. Se Sócrates era um chico esperto, esperteza que só lhe dava para o lado da asneira e do benefício próprio, Seguro é um idiota dos pés à cabeça. É a prova provada que num cenário de desnorte e desagregação pode muito bem ser o idiota da aldeia a tomar conta das coisas. Alterna entre a incapacidade de assumir as suas culpas, como membro do PS à data do descalabro, e a imputação das mesmas aos outros, até à mais pura e simples falta de honorabilidade.» Groink

1 comentário:

Anónimo disse...

Sou eu que (como a maior parte dos portugueses, ou, no meu caso, naturalizados portugueses) já ando um bocado cansada ou é tudo a mesma m..... ?

Virginia