sexta-feira, julho 13, 2012

EXUMANDO VIDEIRINHOS

Relvas continua a falar pelos cotovelos, mais do que prometia o bom senso e a língua humana em velocidade e relevância, alimentando ainda mais a novela nauseabunda que só o atinge e enterra. Os que lhe exumam os pecados de classe [a classe política que passa pela vida ou a coçar os colhões ou a abrir a anilha para serventia dos potentados do dinheiro, esfaqueando-nos a nós, eleitores e cidadãos, pelas costas] excedem-se na peritagem como nunca se excederam com os outros, em especial com o Filho da Puta, sempre a salvo, fizesse o que fizesse. O Expresso saliva trapalhadas em vez de factos. O Público explora o assunto por todos os flancos e não deixa pedra por revirar. Pronto, já sabemos que o Relvas é um videirinho entre videirinhos e que a imoralidade perpassa toda a legalidade que se quiser apor à 'licenciatura'. Não seria o momento de olhar para outros relvas e outros Filhos da Puta com as suas fraudes, os seus roubos, os seus podres?!