sábado, julho 28, 2012

UMA IMENSA VERGONHA

«A "vitória" de chegar ao final deste ano com resultados equilibrados no conjunto das empresas públicas de transportes (mas não ainda em cada uma delas) é, paradoxalmente, a demonstração mais cabal do dano acumulado e ruinoso de décadas. A aliança fatal entre governos que querem contratar amigos, autarcas que querem obra, bancos dispostos a financiar e gestores cúmplices ou tolerantes deu nesta imensa vergonha. Uma dívida que, gota a gota, deixa de ser privada e passa a ser pública. Desgraçadamente colectivizada. E sem culpados nem responsáveis.» Pedro Santos Guerreiro

Sem comentários: