sábado, abril 07, 2012

AUSTERIFORNICAÇÃO

Vivo em austeridade voluntária [não há dinheiro, tudo está pela hora da morte, combustíveis, tudo] e vivo muito antes da dita começar para os demais portugueses: em 2008 já andava eu com novos hábitos de contenção espartana e poupança minorca, demasiado sensível aos malefícios trapaceiros, ao rumo desvairado da tirania rapace socratesiana. Mas hoje começamos a ficar demasiado conversados em matéria de utilidade e justiça na austerifoda em decurso, imposta pela Troyka e aplicada pelo tripé de porcelana Passos-Relvas-Portas. Não consigo que as minhas vísceras revolvidas em rejeição de quaisquer fraudes políticas e de quaisquer maus caracteres políticos se descentrem da denúncia e combate à Espessa Mentira Socratesiana que nos trouxe aqui [o Primadonna tem a sua cela prisional vaga, aguardando-o!] para se centrarem na mentira e Covardia dos que dizem querer tirar-nos daqui: qualquer coisa que o Governo Passos faça ou não faça que recorde o modus operandi Sócrates é Sócrates e é, por isso mesmo, o diabo, ainda o diabo, a começar pelos laivos de arrogância gaspariana, manto com que nos nivelam em totós: a respeito dos cortes nos subsídios, o lixo começa a avolumar-se, a verdade e a transparência esvaem-se, sobretudo quando se pensa nos Interesses Intocáveis e nos Privilégios Vitalícios habituais. Se Passos pensa que pode prosseguir austerifodendo-nos sem nos olhar olhos nos olhos, sem a rocha sólida de uma cumplicidade todos os dias renovada Governo-Povo votante, nem pense. 

1 comentário:

Daniel Santos disse...

Finalmente... finalmente.