terça-feira, abril 03, 2012

EQUAÇÃO DIFERENCIAL SOBRE UM FILHO DA PUTA

«O jornal Publico publica hoje um artigo reconstruindo o que se passou nas últimas horas antes do pedido de ajuda ao FMI, concluído com a mensagem do PM José Sócrates ao país. Veremos, em poucas horas, se a esses jornalistas, por omissão, falta também dignidade, ou não. É que o que se conclui do que ali está escrito é que nem o pequeno discurso do "estou bem assim ou assim, Luís?" escapou às mentiras descaradas. Sócrates não decidiu pedir ajuda internacional com base nas consultas que manteve, como foi dito; bem pelo contrário, ocultou e enganou novamente o país, até nessa altura, porque foi Teixeira dos Santos e todos os outros intervenientes quem o decidiu por necessidade urgente, retirando-o das twilight zones manhosas e perversas onde nada como peixe, de resto a única zona em que aparentemente sabe viver, e que utiliza sem escrúpulos para emparedar a verdade sobre o país, como se retira da mesma leitura. Isto é uma notícia e não é das que concorrem com o Braga-Benfica. Isto é a história da desgraça de Portugal e de como ela poderia ter sido, porque o país poderia ter reeleito uma pessoa que o ludibriava, novamente e manhosamente, enquanto se aguentava pondo os banqueiros a pagar um buraco gigantesco para revelar só depois das eleições, enquanto sacava às empresas privadas para não expor a desgraça a que foi conduzindo o Estado. E não venham cá com a treta do homenzinho que já lá vai, porque o PS que ele deixou não só lhe tomou a "cultura" política, como se deixou enredar de um tal modo que já não sabe viver de outra coisa nem é capaz de cortar o cordão umbilical que os continua a unir, e bem. Que se registe e informe os portugueses que foi Teixeira dos Santos quem à revelia de seu chefe avançou, e que as relações foram cortadas por este e por o ter feito. Pelo menos, que a história guarde para aquele Ministro a decisão, ainda que lhe sirva apenas para se limpar mal das asneiras que andou a fazer ao lado do ilusionista.» Anónimo

Sem comentários: